sexta-feira, 14 de agosto de 2009

A GAIOLA





















(À Paty, amiga distante, com carinho)

Cada pessoa que passa
voando pela nossa vida
nos ensina alguma coisa
e algo também aprende.

Fica com a gente um tempinho,
então ela bate asas:
umas voltam,
outras não.

O que a gente não podia
(mas sempre acaba fazendo)
era fechar a gaiola.

Evitando que ela saia,
impedindo que ela volte,
querendo ser dono, sem ser...


foto: Claire Mojher

7 comentários:

Paty M. disse...

Dalva, amei!!!!Vc me inspirou tb!
Beijos

angela disse...

Bonita Dalva.
A gente sempre tenta reter o que ama e não adianta, esforço inutil.
beijo

Concha disse...

As gaiolas,são isto mesmo.
Domesticação,cativeiro,vícios que todos conhecemos...
Bjs

E já agora,sempre surpreendente!

Brindila disse...

Dalva, que texto lindo... nem sei como cheguei no seu blog, mas ADOREI!
O texto é seu? Fantástico!
Bjo grande

Brindila disse...

Desculpe,li só agora na parte suprior do blog, que são todas suas.
Ótimo trabalho!!! :o)
Estarei sempre por aqui acompanhando.

Bjo

Silvia disse...

não é fácil deixar alguém bater as as asas... dá uma saudade danada! o melhor é deixar a porta aberta... quem sabe ainda volte...voando!

bjos!

Kraxpelax disse...

Typically Swedish Next Door Girls Collection För Your LAPTOP!

:o)

My Babe Misogyn Wallpapers:

http://screenfonds.blogspot.com/

And my Stockholm photographies:

http://holmstock.blogspot.com/

And my English poetry:

http://singleswingle.blogspot.com/

And my tentative Spanish poetry:

http://hollb.blogspot.com/

Feel free to announce your blog on mine.

- Peter Ingestad, Sweden