quarta-feira, 19 de agosto de 2009

ATÉ QUE AMANHEÇA






















Quando você chegar, de noite, nos meus sonhos,

faça-me o favor de apagar a luz.

Pise de mansinho, assim como se fosse um gato,
e apague o cigarro no cinzeiro, e deite.

Porque o travesseiro ainda tem o seu cheiro
bom de maresia, de surpresa e afago.

E porque o meu corpo, se olhar direito,
tem a cicatrizes dos nossos naufrágios.

Fique aqui comigo, abraçando o meu vulto,
e me conte as estórias de outras paragens.

Invente bobagens, se preciso, minta,
mas fique comigo até que amanheça.


foto: Christina Sealey

11 comentários:

Prussiano disse...

Entendo perfeitamente a questão do 'pisar de mansinho'.... do 'cheiro'... do'afago'... dos 'naufrágios'.... dos 'vultos'...e do 'fique comigo'.... entendo mais que perfeitamente até... o viver nos ensina a sorrir, a sentir e a chorar...
Gostei muito do teu blog !! =]
viel Grüss !

angela disse...

Minha rival!
É tão bom quando nos brinda com sua arte.
Esse está particularmente doce e sofrido, assim como quando a gente já entregou os pontos.
Beijo

CarolBorne disse...

Tá bom, neguinha, agora eu vou dizer uma coisa: putaquepariu! Fez eu me lembrar de um tempo que eu quase tinha esquecido...com lágrimas nos olhos.

Concha disse...

O poema é lindo!!!
A foto também.
Perfeito.
Bjs

Dri disse...

Essa alma lírica que você tem, quantas reminiscências me traz nesses versos! Belíssimas imagens!!!

Beijos

Prussiano disse...

Oláá.... passando pra deixar um abraço e bom fim de semana!!

Grüss !!=]

missosso disse...

uma lírica delicada e atenta, posso pedir mais?

Maria Ribeiro disse...

LINDO POEMA DE AMOR! QUASE DESESPRRRRRERADOpois você tem medo da solidÂo e de nÃo ter com quem compartilhar seus dias. BEIJOS DE LUSIBERO

Braulio Pereira disse...

adorei.
obrigado.

amor.

intenso..


beijo..

Teórico disse...

Sei bem como é essa coisa de o travesseiro guardar cheiros...


Beijos

Legabal disse...

Bellíiiiiiisima poesia. Beijos moitos Dalva.