domingo, 28 de outubro de 2012

OS VERSOS QUE EU ESCREVO







Os versos que eu escrevo,
uns melhores,
(outros nem)
uns rimados, outros não,
brotam assim - soluços - 
e todos falam de mim.


Os lugares que eu descrevo,
as casinhas,
seus alpendres,
as janelas e os gerânios,
taiobas e taturanas,
jabuticabas e medos.
                


E as pessoas que eu menciono,
as minhas mães,
os meus pais,
irmãos e irmãs que eu tinha,
nem são reais, são de sonho - 
mas quanta falta me fazem !





2 comentários:

http://poesirios.blogspot.com.br/ disse...

Dalva parabéns pelas poesias. sempre acompanho sua sensibilidade poética :)

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Dalva, conheci você lá no Blog Doce de Lira da minha querida amiga "Carioca do Brejo"( dizem que quem é de Juiz de Fora não é mineiro e nem carioca. É carioca do brejo, rs...rs.).
Vim conhecer esse seu blog e fiquei maravilhado com a simplicidade dos versos e o acolhimento do local. Adorei isso. Vou segui-lo e persegui-lo, rs...rs.
Beijos
Manoel