sábado, 2 de julho de 2011

QUANDO EU CHEGAR

















Quando eu chegar,
pode ser à tarde,
quando o sol se põe,
deixando para trás as sombras alongadas,

Pode ser à tarde,
bem naquela hora,
indecisa hora,
em que só alguns postes têm a luz acesa.

Ah, amado meu,
Ah, amada minha...

Esteja me esperando
como eu te espero
por toda uma vida,
com um beijo longo que apague a sombra que deixei na estrada.


foto: "Sombra" - Feozzy

7 comentários:

Marcantonio disse...

Deus! Poderia ser a indesejada das gentes? Aquela parca com a sua tesoura? A grande sombra com sua foice?

A beleza do sentido não tão nítido como um vulto a contra luz.

Abraço.

Dona Sra. Urtigão disse...

Comentar poesia ? Impossivel !
Esta dança de letras, sente-se. Gosta-se ou não. E aqui, eu gosto.

CeciLia disse...

Eu também gosto, Dal-querida. Sempre me faz um bem enorme te ler.

Beijo,

Fê Ozzy disse...

:) obrigada pela homenagem! Linda poesia!

MOISÉS POETA disse...

É desses poemas que me tocam a alma...!

lindo demais ...!

um beijo , querida !

Aili disse...

É de emocionar,é mesmo de encher os olhos e a alma...

Lindo! Lindo!

Graça Carpes disse...

Passei para conhecer... Encantou-me a solidão.