sexta-feira, 24 de junho de 2011

DECIDIDAMENTE
















Decididamente
eu não estou feliz.


Com o pouco leite

que a vaca da vida
me deu por direito.

Decididamente
eu quero muito mais.

Eu quero
ter um carro
e uma casa decente.

E ter coisas boas,

como roupas novas
e caras e quentes, e lindas e tudo.


Eu quero ter saúde,
dentes
e
cabelos,
ir à manicure, ao cabelereiro: quero cheirar bem.


E que ninguém me venha com aquele papinho
manjado
e cretino
do Homem Feliz.


Decididamente.


foto: Dólares

6 comentários:

angela disse...

Decididamente,
Tem toda razão.
beijos

evandro mezadri disse...

Muito legal, bem escrita.
Grande abraço e sucesso!

Vera Lucia Marques disse...

Querer é o primeiro passo (tem quem nada queira). O segundo é suar a camisa. O terceiro persistir. O quarto, persistir. O quinto, sexto, sétimo...e depois ainda saber administrar os resultados, se chegarem. Nada fácil para uns, estimulante, para outros. Abrs!

Renata de Aragão Lopes disse...

Seu poema responde à minha enquete:

"se a vida é simples,
que mais você quer?"

Beijo,
Doce de Lira

Marcantonio disse...

Eu ainda não havia visto... Ótimo. O dinheiro traz felicidade? O dinheiro não traz felicidade? No fundo tanto faz, porque a questão nunca foi trazê-la, mas convencê-la a ficar! E isso não é só o dinheiro que não consegue... Rs.

Abraço, Dalva.

Elis disse...

Difícil alguém ter esta coragem de se mostrar insatisfeito e de gritar ao mundo que quer mais. Somos criados para "dar graças" e nos contentarmos com o pouco, com a velha desculpa de que há muitos em situações piores... Mas há muitos em situação bem melhor!!! Será pecado querer mais?!