sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O INEVITÁVEL


Eu ia andando
pela calçada
com a sombra da minha sombra
na solidão paralela que me contorna.

Do outro lado da rua
- a outra margem -
o inevitável chegou
como ele sempre aparece - inevitável.

Sentamos os dois,
o inevitável e eu,
mão na mão, olho no olho,
nos reconhecendo - já somos velhos amigos.

foto: WEB

10 comentários:

manuel marques disse...

Não adianta discutir com o inevitável. O único argumento disponível contra o vento é vestir um agasalho.

Beijo e bom fim de semana.

angela disse...

Saudades de você e de sua poesia.
Isso é inevitável.
beijos

José María Souza Costa disse...

Parabens pela poesia. A vida é uma eterna Imaginação, de Desejos
Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Tempo Agradável, Harmonioso e com Sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito Simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Se tiveres tuiter, e desejar, é só deixar que agente segue.
Um abraço e fique com DEUS.

http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

ONG ALERTA disse...

Somos dois a olhar...
Beijo Lisette.

Eduarda disse...

Dalva,

Maravilhoso este encontro com o eu.

Parabéns1

bj

Marcantonio disse...

E desde que apresentados a ele, nunca mais poderemos atravessar para o outro lado a rua, fingindo que não o vimos.

Abraços, Dalva.

Tania regina Contreiras disse...

Encontro inesquecível sempre algo como este!
Beijos,

Cristine Lima disse...

Olá,
São estes encontros que nos fazem querer mais da vida...
belo post.
Gostaria de convidá-la para ver meu blog. Comentários são muito bem vindos.

Jeniffer Haddad disse...

Que linda poesia *-*

Renata de Aragão Lopes disse...

Maktub!

Beijo,
Doce de Lira