domingo, 27 de junho de 2010

AS MANEIRAS DA DOR


A gente já nasce sabendo
o básico,
o essencial.

Sabe o doce,
sabe o sal.

A gente enamora da rosa,
do perfume
e da cor.

Mas, só amando,
no entanto,
aprende as maneiras da dor.


foto: Gilberto Serrano blog

7 comentários:

angela disse...

É isso aí.
E quantas maneiras existem...
Lindo poema
beijos

Ava disse...

Que maneira mais paradoxal para aprender o que a dor... através do amor...

Isso soa tão estranho, mas tão verdadeiro...


Beijos meus!

Marcantonio disse...

É verdade. Mas a forma como foi dita é que importa.

Abraço.

leonorcordeiro disse...

Querida Dalva,
Lindo poema!
É sempre bom passar por aqui e encontrar os seus versos.
bbbjjjjssssss!!!!

Concha disse...

Lindo poema!
Aqui tudo é real,simples como é a alma de quem o escreve.
Beijinhos

Renata de Aragão Lopes disse...

Dalva,

que mimo de poema!

O amor e a dor
viveriam entrelaçados?

Beijo,
doce de lira

CarolBorne disse...

Lá vai ela sintonizada com as minhas antenas...