segunda-feira, 5 de abril de 2010

VOLTANDO




















Voltando atrás,
bem mais atrás,
onde a memória dolorida ainda alcança

e estar sentada num degrau
olhando o mundo revirado em bois bravios

e o medo,
e o medo,
e o medo,

e o cheiro ruim-gostoso que sai da boiada,

e o corpo nu ralando a pedra
e a boca em gozo arreganhada para os astros,

eu, rodeada de mil vagalumes.





foto: Dani Torrent Ilustración

13 comentários:

Frases e Imagens disse...

Bom Dia!
Lindo poema, quem dera podessemos voltar ser como criança novamente.
Bjs
Mila

Silvana Nunes .'. disse...

Bom dia.
passando para conhecer o seu espaço.
Lindo post sobre a memória afetiva.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja uma boa semana para você.
Beijo grande.
Saudações Educacionais !

angela disse...

Os momentos mágicos da vida nos aompanham pra sempre, é só fehar os olhos e lá estão eles.
Lindo poema.
beijos

manuel marques disse...

"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."

Jinho.

Sophi_1990 disse...

Infancia... quem dera fosse eterna... XD
Blog muito bom parabens ^^

ONG ALERTA disse...

Somos parte do todo, lindo e muita paz.

Concha disse...

Lindos e repletos de emoção,são assim os poemas da amiga Dalva.
Um grande beijo

Marcantonio disse...

Acho que chamamos de paraíso perdido a essa sensação de pertencermos ao todo. E vamos pela vida buscando reencontrá-la... Aqui e ali topamos com ela, mas tão efêmera! A arte costuma prorrogar esses lampejos.Mas é uma ampla capacidade de amar as ocultas raízes das coisas que torna essa sensação duradoura.

Abraço.

evandro mezadri disse...

Belíssima poesia, muito inspiradora.
Grande abraço e sucesso!

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Fabrício Carpinejar. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Eu sei que é um abuso da minha parte te mandar essa propaganda control c control v, mas quem escreve precisa de outro alguém do outro lado, além sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Roberto Sena disse...

Olá querida! Meu nome é Roberto Sena, atualmente moro em Madrid, na Espanha. Escrevo sobre moda para algumas publicaçoes brasileiras e espanholas, além de estar presente como correspondente de moda. Quero lhe convidar para participar da promoção “Life Behavior te veste de H&M”? Visite o www.lifebehavior.blogspot.com . Desculpe pelo incomodo!

Anônimo disse...

Bom dia, Dalva, passando por aqui para ver suas belas poesias. Peço sua licença para utilizar algumas delas na finalização dos artigos que escrevo para o jornal Folha de Ourinhos e depois publico no blog Memórias Ourinhenses.
Abraço
José Carlos

Marly disse...

Oi Dalva,abençoado os que já sentiram esse cheiro de terra e tocaram os astros. Vai carregar pra sempre essa magia.Lindo poema
Beijos