sábado, 6 de março de 2010

PERSPECTIVA
















Eu quero que tenhas,
(se possível for)
uma perspectiva.

E olhos para ver,
e ouvidos pra ouvir a versão do outro.

De forma sincera. Sem medo de errar.

Para olhar o mar,
andar pela praia recolhendo conchas
sem fins lucrativos, só pelo prazer.

Ver o pôr-do-sol,
e contemplar o céu em noites de verão.

E dar mais valor
nessas coisas pequenas
que nos distanciam do bicho que somos.

7 comentários:

angela disse...

Esse bicho que nós temos, as vezes nos machuca tanto e as vezes é tão machucado.
beijos

Marcantonio disse...

Atualmente não faço senão procurar essa perspectiva. A amor-antídoto das coisas pequeninas contra o vazio assustador das grandes coisas. Cato lá as minhas conchinhas com especial atenção.

Paula Rego é especial, não?

Um abraço.

jazzlamb disse...

I read this in English, and am guessing a lot gets lost in translation, but I really liked the way you structured this:)
Thanks a lot a lot for commenting:)

D i c a disse...

A gente se distancia e se aproxima, feito cão e gato de nos mesmos.

Flora Dutra disse...

gostei das tuas poesias
té mais

CeciLia disse...

E eu quero a possibilidade
da outra perspectiva
a chance da chance
do azar do acerto
à sorte do erro:
eu quero, eu quero
a oportunidade de admirar.

Gosto sempre, teus poemas me falam.

Beijo

CeciLia

Concha disse...

Somos bichos.
Sensiveís,delicados,amigos...,mas também somos egoístas e maus, por vezes muito maus.
E, só nos damos conta,que o somos quando a vida quer fugir de nós.
A propósito, adoro passar por cá, ler boa poesia e também apreciar a pintura da Paula Rego.
Uma Feliz Páscoa!
Beijos