quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

DISSO E DAQUILO




















O relógio da sala parou,
certa noite:

era tarde
,
chovia
e fazia frio.

Sobre a mesa, as migalhas do pão,
umas sobras,
as frutas
e as taças de vinho vazias.


Desde então,

além disso,

e daquilo,
deixo sempre uma lâmpada acesa.


Vai daí que você pense bem,

tenha fome,

ou sede,
vai daí que acaso me queira...

foto: "Douceur du foyeur" - Jean

7 comentários:

Janaina Amado disse...

Lindo, Dalva. Me lembrou Dolores Duran, as músicas dela... Achei o clima parecido. Parabéns!

DE-PROPOSITO disse...

chovia e fazia frio.
----------------
É o que está acontecendo por aqui. Mas o relógio ainda não parou. No entanto a energia eléctrica' por vezes falta. E certamente que muitas outras 'coisas', faltam.
Felicidades.
Manuel

Carol Borne disse...

Pra variar, Dalmaria, coube feito uma luva.

Miguel Barroso disse...

Belo!

Abraços d´ASSIMETRIA

DO PERFEITO

DE-PROPOSITO disse...

vai daí que acaso me queira...
------------
Querer ou não querer, eis a interrogação!... É que o querer, nem sempre é querer.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
FELIZ ANO 2009.
Manuel

Legabal disse...

Que tus buenos deseos se cumplan y que disfrutes en compsañía de tus seres queridos Feliz año, Dalva.

christiana disse...

Poeta querida, agradeço por sua leitura, seu carinho e suas palavras de incentivo por todo esse tempo, e lhe desejo um ano de taças borbulhantes e corações transbordantes.
Beijos.