segunda-feira, 15 de setembro de 2008

CHARME


Não me leve a mal.

Apenas,
apesar de todas as penas,
eu sobrevivi, e vou bem.

Não me leve a mal.
Embora
você decidisse ir embora,
eu fiquei aqui, mas mudei.

Não me leve a mal.
Entretanto
se você me quiser outro tanto,
não vai dar, superei o seu charme.

foto: "Boneca de trapo" - Linhas de Trapo

8 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

decidisse ir embora,
-------------
Ir embora não é o mesmo que um, até logo. Ir embora significa, desprendimento. Ir embora só acontece, porque houve um encontro.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

Camila* disse...

Muito bom !

Mario Poloni disse...

Querida Dalva... Obrigado pelo coment e por ser minha 9a. especialíssima leitora...
Li sua página inicial e minha invejinha vai pra Fecundação... Eu é que digo, esse eu queria escrever...
Bjssss

Aline Christal disse...

Dalva, adorei a liverdade de suas poesias...
Namastê,
Aline

CeciLia disse...

Ficar e mudar, uma abstração que poucos entendem. Muitos menos sentem. sei bem sobre isso.
Beijo, Dal, imenso, de saudade, de reencontro. Vontade boa de te dar um abraço forte. Fica com Deus.

CeciLia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
vidacuriosa disse...

Gostei demais do jogo de palavas, do jogo de idéias, da poesia solta.
Ah. Coloquei o link do teu blog no vidacuriosa. Abras.
Eu volto.

Mauro Castro disse...

Como dizem por ai: "a fila anda".
Há braços!!