terça-feira, 30 de setembro de 2008

ABSTENHA-SE DO MEDO






















Abstenha-se do medo.


Segredos camuflados
numa penumbra-floresta
de fatos,
boatos,

sobre o natural das coisas,
sobre o natural da crise,

do medo

de ficar doente,
de perder o emprego,
de cortar o dedo.
Gradativamente,

incisivamente,

- nem um monstro.

Abstenha-se do medo.


1970

2 comentários:

ADIEMUS disse...

Gostei!

Anônimo disse...

Dal, tudo que vc escreve é pra mim?? sua universala juramentada !!!