domingo, 3 de fevereiro de 2008

SÓ EU

















Só eu posso segurar a tua mão

na escuridão
da meia-noite
da vida.

Só eu que sei do que tu gostas,
ou não gostas,
a comida
e a bebida.

Eu, que entendo quando falas,
ou calas,
a alegria
e a tristeza.

Eu, que aceito quando partes
e voltas,
e me tratas
de porto.

foto: "Barco" - Sonhos do Baú

3 comentários:

CeciLia disse...

Dalva, querida

É tão doce conhecer alguém assim, tão bonito... aqui vai uma certa inveja Branca. Beijos na alma tua.

DE-PROPOSITO disse...

Um tudo aceitar, só pela ilusão de uma miragem.
Fica bem.
Felicidades.
Manuel

Martín Bolívar disse...

La ausencia del amor y una imagen bellísima.