segunda-feira, 17 de outubro de 2011

SENTIDO CONTRÁRIO




















Ele vinha alegre,


ele vinha rindo,
vinha meio grogue,
curtindo o efeito da bebida forte
e sei lá mais do quê.

Ele vinha alegre,
vinha caminhando,

e vinha cantando,

e seguindo a canção.


Vinha bem feliz.

No meio da noite,
porém,
todavia,
vinha o infortúnio
em sentido contrário:

Tá rindo do quê?

Fim da libertè,
da egalitè, e não sei mais o quê.


9 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

Muito, muto boa poesia !
Daquelas que atingem forte.

manuel marques disse...

A porta da felicidade abre só para o exterior; quem a força em sentido contrário acaba por fechá-la ainda mais ...

Beijo meu.

Simone butterfly disse...

Que linda suas poesias, tocam lá na alma...Esperando sua visita lá no meu jardim, prometo que voltarei e contemplarei mais vezes essas deliciosas poesias, beijos carinhosos!

DE-PROPOSITO disse...

Vinha bem feliz.
----
Por vezes a felicidade é ilusória.
--------
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

irene alves disse...

Pois é amiga, a alegria às vezes
dá mau resultado, ou a bebida...
ou estar num momento de não-sorte.
Gostei.Beijinho

Irene Alves disse...

Minha amiga querida, gosto muito
dos seus comentários.Pois a sua
poesia merece mesmo ser divulgada
porque é muito boa. Eu tenho
uma história de vida que poderia
dar um bom desenvolvimento para
um livro, mas não o irei fazer,
primeiro porque não me sinto
preparada para tal e porque a
história envolveria outras pessoas,
obviamente que mudaria nomes, etc.
etc., mas acho que nunca acontecerá.
Beijinhos e bom fim de semana.
Irene

Elisa T. Campos disse...

Dalva
Concordo com a Irene Alves.
A sua poesia merece ser divulgada.

Esta soa como uma canção, caminhando
cantando, ziguezagueando. Lindo.

Beijusss

Irene Alves disse...

Dalva minha amiga, desejo que
esteja bem. Obrigada pela
sua visita e comentário.
Bom fim de semana.
Bj
Irene

nacasadorau disse...

O fim pode surgir assim, numa esquina qualquer, do nada, sem razão aparente.
Pelo menos ele vinha rindo.

Beijinho