sexta-feira, 24 de agosto de 2007

MANHÃ NA VILA









Eu adoro a manhãzinha
ingênua e cristalina,

que enfeita a minha vila
adormecida.

E o orvalho que escorre
daquele ramo de rosa,

onde um passarinho canta
no mesmo tom.

E aquele gato no muro
esfregando-se, indolente,
esquentando-se no sol
da manhãzinha.


E o galo cantando, ao longe,
deslocado e irreal,

acordando a minha vila,
adormecida.

outubro 2005

Nenhum comentário: